Ultraseg

AVALIAÇÃO DE VIBRAÇÃO OCUPACIONAL

A vibração

Todos os materiais possuem uma ou mais frequências naturais de vibração que são intrínsecas ao material e dependem de variáveis como: peso, forma ajuste, constituição física e química (TAVARES,2000).
O corpo humano pode ser considerado como um sistema mecânico complexo, de múltiplos graus de liberdade que pode ser representado pelo sistema mola amortecedor, conforme tabela abaixo pode-se observar as frequências de ressonância do corpo humano.

Fonte: Gerges, 2000.

Partes do corpo humano

Globo ocular
Cabeça (modo vertical)
Ombros
Parede toráxica
Volume pulmonar
Antebraço
Mãos
Mãos apertadas
Pernas (joelhos flexionados e postura ereta

Frequência Hz

32-78
20 – 60
3 – 5
50 -60
5 – 10
10 – 30
20 – 200
50 – 210
2 – 20

A avaliação de vibração ocupacional é um aspecto crucial da saúde e segurança ocupacional. Ela se refere à medição e análise das vibrações a que os trabalhadores estão expostos no ambiente de trabalho. Essas vibrações podem ser originadas de várias fontes, como máquinas (esmerilhadeiras, furadeiras, parafusadeira, rompedor dentre outros), veículos (caminhões, tratores, empilhadeiras e paleteiras dentre outros).

Por que Avaliar a Vibração Ocupacional?

A exposição prolongada à vibração pode levar a uma variedade de problemas de saúde, incluindo, mas não se limitando a, distúrbios circulatórios, lesões nas costas e nas mãos entre outros. Portanto, é essencial realizar avaliações regulares de vibração para garantir que os níveis de vibração das atividades de trabalho estejam dentro dos limites seguros estabelecidos nas seguintes normas:
– NR09 – Avaliação e controle das exposições ocupacionais a agentes físicos, químicos e biológicos
– NR15 – Atividades e operações insalubres
– NHO09 -Procedimento técnico – Avaliação da exposição ocupacional a vibração de corpo inteiro
– NHO10 – Procedimento técnico – Avaliação da exposição ocupacional a vibração em mãos e braços
– Decreto 3048 anexo IV no INSS – Caracterização de aposentadoria especial

Como é Feita a Avaliação de Vibração Ocupacional?

A avaliação de vibração ocupacional envolve o uso de instrumentos especializados para medir os níveis de vibração chamado de acelerômetro, podendo este ser de mãos e braços, ou de corpo inteiro. O acelerômetro é capazes de medir a aceleração, velocidade e deslocamento da vibração. Além disso, eles também podem medir a frequência da vibração, que é um fator importante na determinação do potencial de danos à saúde.

Uma vez que os dados são coletados, eles são analisados para determinar se os níveis de vibração estão dentro dos limites seguros. Se os níveis de vibração forem encontrados acima dos níveis de ação ou limites de tolerância estabelecidos

Limites de tolerância e níveis de ação para exposição a vibração

As tabelas a seguir apresenta os valores de referência para a tomada de decisão com relação à aren (aceleração resultante de exposição normalizada) ou ao VDVR (valor da dose de vibração resultante), para exposição de mãos e braços e de corpo inteiro para fins de higiene ocupacional.

Critério de julgamento e tomada de ação para exposição a vibração de corpo inteiro
Fonte: NHO 09, Fundacentro 2013

Saiba mais

Conclusão

Cabe destacar que a QUANTIFICAÇÃO dos valores de aceleração de vibração de mãos e braços, ou de corpo inteiro, a partir do eSocial, com a obrigatoriedade do envio dos agentes nocivos existentes nos ambientes de trabalho, através do evento S-2240, todos agentes considerados QUANTITATIVOS, ou seja, que necessitem medições de dose, intensidade ou concentração, OBRIGATORIAMENTE deverão ser informados com os valores encontrados, pois o campo em branco não será aceito pelo e-social, sob pena de multa por não envio do evento.
Quem fiscalizará tal informação será a Receita Federal do Brasil, pois o LTCAT (evento do e-social S.2240) com a utilização de supercomputadores que cruzarão as informações dos eventos com as atividades. Salienta-se que as avaliações ambientais são uma obrigação acessória, prevista na IN 971/2009, que embasa o recolhimento de um tributo federal, o Financiamento da Aposentadoria Especial- FAE.
Por este motivo cabe salientar que também não há possibilidade de não informar os agentes quantitativos, pois com a base de dados de todas as empresas do País, a Receita Federal do Brasil fará cruzamento de informações buscando inconsistências, como por exemplo: Um motorista de carro ou de caminhão, ou ainda operadores de empilhadeira que não tenha exposição a vibração de corpo inteiro, ou ainda um profissional de manutenção mecânica sem exposição de vibração de mãos e braços
Além, é claro, de que o laudo não contendo os agentes estariam equivocados e passíveis de sansões (multas) legais independente do eSocial, o que é muito comum de se encontrar na maioria das empresas, pois os laudos não atendem as NHO’s quanto as informações adequadas.
Para evitar problemas futuros, pedimos que entrem em contato para que possa ser viabilizada as medições necessárias, onde auxiliaremos na definição de quais agentes precisam de medição.
Este investimento é necessário e evitará prejuízos e vulnerabilidades maiores no futuro.

Quadro 1 – Critério de julgamento e tomada de decisão para exposição a vibração de mãos e braços
Fonte: NHO 10, Fundacentro 2013

Abrir bate-papo
1
Precisa de ajuda?
Escanear o código
Bem vindo à Ultraseg
Olá.
Como podemos ajudá-lo?